Auxílio Brasil de forma permanente foi aprovado: Veja novos valores, beneficiários e principais mudanças

O Auxílio Brasil Permanente já foi aprovado e entrará em vigor em breve. O valor mensal do auxílio é de R$ 400. O programa beneficiará  18 milhões de pessoas.

O Auxílio Brasil Permanente foi aprovado e sancionado, logo já estará em vigor, beneficiando milhares de brasileiros. Entretanto, algumas mudanças foram feitas no programa social fazendo melhorias em fatores que eram criticados por especialistas e pelos próprios beneficiários. Tais mudanças foram feitas no benefício para oferecer melhores condições aos cidadãos em situação de vulnerabilidade social. O primeiro ajuste foi o aumento e fixação do valor mensal para R$ 400, conhecido como benefício extraordinário, calculado a partir da soma dos valores concedidos atualmente pelo programa.

Auxílio Brasil beneficia cerca de 18 milhões de famílias

Para chegar ao novo valor fixo de R$ 400, será necessário realizar um cálculo a partir dos benefícios secundários, como a composição familiar e a primeira infância.

São cerca de 10 benefícios extras que compõem o Auxílio Brasil, concedidos com base no perfil de cada família e com valores variáveis. Atualmente o programa é pago para mais de 18 milhões de famílias que estão em situação de vulnerabilidade social, as quais terão direito a um tíquete médio de R$ 409 neste mês de maio. Até agora, a média que era disponibilizada pelo benefício era de R$ 224.

Sendo assim, aqueles que estão inclusos no programa que não conseguirem melhores condições de vida com o passar do tempo, não devem se preocupar com o desamparado social de 2023 em diante.

Vale lembrar que todo cidadão em situação de vulnerabilidade social têm direito ao benefício do Governo Federal mediante uma transferência de renda, de acordo com a lei. O reajuste nas mensalidades do Auxílio Brasil é o que tem chamado atenção dos beneficiários e dos críticos.

Composição atual do Auxílio Brasil Permanente

O Auxílio Brasil permanente é composto por vários benefícios secundários, sendo que, cada um deles é liberado de acordo com o perfil da família beneficiária pagando um bônus em valores diferentes.

Benefício Primeira Infância é pago às famílias com crianças até 36 meses incompletos, já o benefício Composição Familiar é pago às famílias com jovens até 21 anos.

Já o Bolsa de Iniciação Científica Júnior, são 12 parcelas mensais pagas a estudantes beneficiários do Auxílio Brasil com bom desempenho em competições científicas e acadêmicas.

O Benefício de Superação da Extrema Pobreza é um complemento financeiro para famílias beneficiárias, mas que mesmo assim, a renda familiar per capita não supera a linha de pobreza extrema.

O Auxílio Criança Cidadã é pago aos chefes de família que estão empregados e não encontram vagas em creches para deixar os filhos de 0 a 48 meses. O auxílio Inclusão Produtiva Rural é pago por até 3 anos aos agricultores inscritos no Cad Único.

O auxílio Inclusão Produtiva Urbana é voltado para beneficiários do programa que comprovem que possuem emprego com carteira assinada. O Auxílio Esporte Escolar tem como foco estudantes entre 12 a 17 anos que sejam membros de famílias beneficiárias e que se destacarem nos Jogos Escolares Brasileiros. Por fim, o Benefício Compensatório de Transição pago aos atuais beneficiários do Bolsa Família que perderem parte do valor recebido por conta das mudanças geradas pelo novo programa.

Como solicitar o Auxílio Brasil?

O Auxílio Brasil Permanente é concedido automaticamente. Sendo assim, não é necessário inscrição e solicitação do benefício. Será necessário apenas se registrar no CadÚnico para aqueles que ainda não compõem o sistema do Governo Federal.

Por outro lado, quem já é inscrito é necessário apenas fazer a atualização cadastral para garantir a elegibilidade ao benefício. Podem receber o auxílio, famílias de extrema pobreza  que possuem uma renda per capita de até R$ 105 e famílias que possuem uma renda entre R$ 105,01 e R$ 210 per capita.

Vale lembrar que agora os recebimentos podem ser feitos em bancos privados caso contem com conta corrente ou poupança em algum deles:

  • NIS 1 – 18 de maio;
  • NIS 2 – 19 de maio;
  • NIS 3 – 20 de maio;
  • NIS 4 – 23 de maio;
  • NIS 5 – 24 de maio;
  • NIS 6 – 25 de maio;
  • NIS 7 – 26 de maio;
  • NIS 8 – 27 de maio;
  • NIS 9 – 30 de maio;
  • NIS 0 – 31 de maio.

Escreva um Comentário