Governo da Bahia e Secti estão oferecendo 20 mil vagas em cursos gratuitos online na área de Tecnologia

O Governo da Bahia e a Secti estão mais de 10 mil vagas em cursos gratuitos online no setor de Tecnologia e empreendedorismo. Ao total são 300 categorias de cursos onde os alunos podem escolher mais de um para se aperfeiçoarem

O Governo da Bahia por meio da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), desenvolveu uma iniciativa que recebeu o nome de “Programaê”, que está em parceria com a startup Digital Innovation Onde (DIO), e oferece 300 cursos gratuitos online no setor de empreendedorismo e tecnologia. O programa conta com 30 mil vagas abertas onde, desse total, 10.000 já foram preenchidas por baianos de vários municípios, sendo assim, ainda há 20 mil vagas para serem preenchidas por aqueles que têm interesse em se dedicar ao setor de tecnologia e empreendedorismo, aprender uma nova profissão ou até mesmo aprimorar conhecimentos.

Entidades comemoram a criação do novo programa do governo da Bahia com o Secti

Mara Souza, secretária em exercício da Secti comemorou a expansão da quantidade de cursos gratuitos online disponíveis para o povo da Bahia.

Mara afirma que a iniciativa do Governo da Bahia com a Secti é um grande sucesso desde que foi lançada. Ela começou com nove cursos e foi se expandindo aos poucos e atualmente alcançou a marca de 10 mil inscritos disponibilizando um total de 300 cursos gratuitos online, com o objetivo de expandir o leque de opções daqueles que planejam se aprimorar no setor.

A secretária ainda afirma que há 20 mil vagas para serem preenchidas, então aqueles que estão interessados estão convidados para acessar o seu site e realizarem suas inscrições em um dos cursos.

Já de acordo com Victor Haruo, Head de Parcerias da DIO, o conhecimento na área de Tecnologia é uma peça essencial na transformação da carreira de pessoas que estão à procura de vagas de emprego no mercado de trabalho. Victor ressalta que ao longo da sua parceria com o Governo da Bahia e a Secti, foi possível ver essa afirmação de forma nítida, pois milhares de pessoas que tiveram acesso ao conteúdo totalmente gratuito da plataforma conseguiram gerar bons frutos.

A plataforma obteve cases de pessoas promovidas, contratadas e que começaram sua carreira em um dos mercados que mais se expandem no mundo todo devido à parceria entre o Governo da Bahia e a DIO.

Como se inscrever nos cursos gratuitos online do programa da BAHIA?

Os que tiverem interesse de se inscrever, devem entrar no site da Secti e clicar no banner do programa que aparecerá na tela inicial.

Feito isso, você será redirecionado para outra página onde deverá preencher dados pessoais como nome completo, e-mail entre outros para concluir a inscrição.

Logo após, o candidato deverá confirmar seu e-mail através de uma mensagem encaminhada na caixa de entrada e o próximo passo é navegar pelo site e escolher um dos 300 cursos gratuitos online disponíveis pelo programa.

Vale ressaltar que os alunos podem se inscrever em quantos cursos desejarem e todos contam com certificado de conclusão. Após concluir um módulo, o aluno passa a compor o Banco de talentos da DIO, podendo ser encaminhado para possíveis vagas de emprego futuramente.

CLIQUE AQUI PARA SE INSCREVER

Profissionais de TI estão em falta no Brasil

Até 2024 o Brasil terá uma necessidade de 420 mil profissionais no setor de tecnologia, entretanto formará apenas 46 mil pessoas por ano para esse perfil, de acordo com a Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom).

Atualmente o Brasil é o décimo maior mercado do mundo no setor e a transformação digital acelerou a falta desses profissionais. Diversas discussões afirmam que empresas internacionais recrutam profissionais com salários mais atraentes voltados à possibilidade de trabalhar de forma remota, gerando assim maior falta no nosso país.

Entretanto a falta de profissionais não se liga apenas aos altos salários pagos por outras empresas do exterior. O trabalho remoto também é um grande fator decisivo para que o profissional migre para o mercado gringo e a pandemia já intensificou-se esse modelo de trabalho.

Outro ponto encontrado são as formas de recrutamento, pois o profissional de TI não vai querer participar de um processo seletivo demorado com uma densidade maior de provas complexas e entrevistas com vários gestores.

Escreva um Comentário